Mary Elizabeth Gaskill é uma personagem coadjuvante em Red Dead Redemption 2.

História[editar | editar código-fonte]

Background[editar | editar código-fonte]

Uma jovem gentil e bem-humorada, o que a torna a criminosa perfeita. Quando as pessoas percebem que foram roubadas, Mary-Beth já está voltando para casa com o seu dinheiro.

- ROCKSTAR GAMES

Mary-Beth foi encontrada pela gangue quando fugia de um grupo de homens que a viram roubando suas carteiras e relógios, Dutch a salvou e então à acolheu para a gangue.

Personagem[editar | editar código-fonte]

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Mary-Beth se apresenta como uma mulher gentil e bem-humorada, embora isto seja apenas um disfarçe para enganar e manipular seus alvos. Por trás de sua personalidade feminina, Gaskill é considerada a criminosa perfeita. Em relação à gangue, no entanto, ela é verdadeiramente amorosa e os considera sua família.

Mary-Beth também é uma leitora devota, quase sempre vista lendo um romance no acampamento, e até mesmo se torna uma escritora no epílogo, embora muito autodepreciativa. Ela é insegura sobre sua paixão e sempre fica tímida e sem graça quando alguém pergunta sobre isso, chamando seus próprios livros de "bobos".

Mary-Beth é considerada o membro mais gentil e educado da Gangue Van der Linde . Isso é visto em muitos momentos ao longo da história, como quando Mary-Beth costumava se oferecer para falar com Arthur sobre eventos recentes e oferecer-lhe conforto em sua morte inevitável por doença.

Sua bondade também se estende a estranhos e possivelmente a figuras ameaçadoras

Como visto durante eventos aleatórios no acampamento, Mary-Beth dá a Kieran um copo d'água enquanto este permanece amarrado em um poste após testemunhar Karen zombando dele. Ela e Kieran eventualmente se tornam muito próximos, e Mary-Beth fica arrasada com sua morte no Capítulo 4.

Aparência[editar | editar código-fonte]

Mary-Beth é uma mulher jovem, sardenta, com cabelos castanhos presos em duas marias-chiquinhas e olhos azuis. Geralmente usa vestidos e pijamas pelo acampamento.

Em 1907 ela continua a mesma, alterando apenas sua vestimenta.

Livros[editar | editar código-fonte]

• A Garota da Mansão

Aparições em missões[editar | editar código-fonte]

Red Dead Redemption 2[editar | editar código-fonte]

  • "Outlaws from the West"
  • "Enter, Pursued by a Memory"
  • "Eastward Bound"
  • "Polite Society, Valentine Style"
  • "Blessed are the Peacemakers"
  • "The Battle of Shady Belle"
  • "Angelo Bronte, A Man of Honor"
  • "No, No and Thrice, No"
  • "Horsemen, Apocalypses"
  • "A Fork in the Road" (voice only)
  • "That's Murfree Country"
  • "Visiting Hours"
  • "A Rage Unleashed"
  • "Red Dead Redemption" (voice only)
  • "American Venom" (credits)

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Em uma conversa aleatória que ocorreu enquanto a gangue estava no Mirante Horseshoe, Mary-Beth disse a Arthur que sua mãe era de Nova Hanover.
    • Segundo ela, a mãe de Mary-Beth morreu de febre tifóide e ela teve que viver sozinha até conhecer a gangue.
  • Se o jogador embarcar no trem em que Mary-Beth parte, ela não será encontrada dentro dele.
  • Parece que Dutch tem uma queda por ela; ele pode ser visto flertando com ela e perguntando sobre seus livros em várias ocasiões, para desespero de Molly.
  • Ela é o membro mais gentil da gangue Van der Linde com Kieran quando ele é capturado, dando-lhe água e nunca sendo cruel com ele. Ela também se envolve em duas conversas adicionais com ele depois de "Paying a Social Call", e mais tarde é vista lamentando sua morte, mostrando um possível interesse romântico entre os dois.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.